Heart Team do Ana Nery discute casos complexos de pacientes; confira

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 3 de maio, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (3), foram discutidos os casos de quatro homens (com 57, 64, 78 e 83 anos) e duas mulheres (com 42 e 76 anos).

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira a decisão do caso apresentado na reunião anterior:

  • Mulher de 48 anos. com quadro de dissecção de aorta Stanford A (sem temporalidade definida); apresenta ainda quadro de hipertensão arterial resistente (diagnostico aos 28 anos) – identificada à angio-tomografia sinais sugestivos de estenose de artéria renal esquerda, com níveis pressóricos controlados após otimização terapêutica. Cateterismo (CATE) com lesão grave de descendente anterior (DA), circunflexo (Cx) e coronária direita (CD) ocluída.
    Decisão do Heart Team: Optado por cirurgia de aorta e revascularização miocárdica (RM). Caso mantenha níveis pressóricos elevados no pós-operatório, seguir com angioplastia de artérias renais.
  • Mulher de 77 anos, hipertensa, dislipidêmica, síndrome demencial à esclarecer (Alzheimer em investigação), hiponatremia, gastroenterite aguda em 15/04 (resolvida). Com diagnóstico de IAM SST em 03/2022, apresentando angina instável com dor em repouso em 19/04/2022 durante internamento. CATE triarterial com leitos distais finos além de aterosclerose com lesão em ilíacas, sendo alto risco cirúrgico e anatomia desfavorável.
    Decisão do Heart Team: Optado por seguir com angioplastia (ATC) diante da refratariedade dos sintomas.
  • Homem de 72 anos, hipertenso, diabético, AVC há 6 anos, passado de prostatectomia por CA de próstata, DAC prévia com primeira angioplastia há 18 anos, segunda há 11 anos, terceira e quarta em dezembro de 2021 no HAN. Laudo de relatório de regulação traz história: no dia 18/03/2022 evoluiu com queixa de dor anginosa buscando serviço de emergência sendo liberado <24h. Persistência e intensificação dos sintomas nas últimas semanas, em 29/03/2022 foi internado em emergência com troponina negativa e CK-MB positiva. Regulado para hospital onde fez um episódio de febre (urocultura negativa) secundário à flebite. Eletrocardiograma sem achados agudos (ZEI inferior).
    Decisão do Heart Team: Consensualmente após discussão, decidido por aceitar pedido de angioplastia para tratamento de lesão em descendente anterior (DA).
  • Mulher de 61 anos, hipertensa, dislipidêmica e diabética. Em 07/04/2022 evoluiu com dor torácica, com irradiação para região epigástrica, associada a dispneia, náuseas, sudorese e um episódio de vômito. Evidenciado troponina positiva e eletrocardiograma com isquemia subendocárdica, diagnosticada com quadro de IAMSST. Realizou CATE com DA e coronária direita (CD) ocluídas e circunflexa (Cx) com lesão moderada, porém impressão da equipe cirúrgica de leito da descendente anterior (DA) com enchimento fino da colateral.
    Decisão do Heart Team: Optado por regulação para avaliação clínica e seguir com cirurgia, caso apresente sintomas e risco cirúrgico baixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, em que posso ajudar?