Reunião do Heart Team do Ana Nery discute casos complexos de pacientes

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 12 de abril, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (12), foram discutidos os casos de cinco homens (dois com 72 anos além d eoutros três com 36, 41 e 68) e uma mulher (com 28 anos).

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira a decisão do caso apresentado na reunião anterior:

Homem de 36 anos, hipertenso, DRC V D desde dezembro/21 e usuário de drogas ilícitas com quadro de depressão, evoluiu com quadro de dissecção de aorta Stanford A subaguda (dor em fevereiro/2022). Realizou angio-TC com evidência de dissecção de aorta com maior diâmetro 47 mm. Associado ao quadro apresenta hipertensão refratária, com otimização de anti-hipertensivo oral (AHO). Apresentando quadro de anemia em investigação (Hb 6,7).
Decisão do Heart Team: Diante de quadro subagudo/crônico de aorta, optado por abordagem híbrida (cirurgia vascular e cardiovascular) após otimização de quadro clínico (controle pressórico, infeccioso e manejo da anemia).

Homem de 31 anos, sem comorbidades prévias, em relatório de regulação: com história de crise convulsiva há 11 dias. Fez um crânio TC que evidenciou lesão expansiva em região temporal, necessitando de craniotomia acordado para exérese lesional segura. Em ECO de 18/02/2022, visto uma lesão mitral reumática com estenose grave.
Decisão do Heart Team: Alto risco cirúrgico e sem indicação de tratamento. Optado por manter em tratamento clínico.

Homem de 67 anos, hipertenso. Em 21/03/2022, IAMCSST inferior não reperfundido. Realizou CATE com padrão triarterial e lesão grave de DA 1/3 médio-distal, lesão suboclusiva no ostio da Cx e grave na CD. Apesar de lesão em 1/3 médio-distal de DA, em vista de uma RM completa.
Decisão do Heart Team: Decidido por seguir com cirurgia de revascularização miocárdica.

Mulher de 67 anos. Em 10/01/2022, IAMSST Killip 3. Realizou CATE com padrão biarterial e lesão de TCE com DA subocluida e Eco com IM grave (funcional).
Decisão do Heart Team: STS e Euroscore de alto risco cirúrgico, sendo decidido por tratamento percutâneoda lesão de TCE e DA.

Mulher de 79 anos, com quadro de angina. Realizou CATE com padrão triarterial e lesão de TCE com múltiplas lesões.
Decisão do Heart Team: Diante de fragilidade e anatomia desfavorável para tratamento percutâneo, optado por seguir com tratamento clinico otimizado.

Mulher de 54 anos, hipertensa, tabagista importante, DRC dialítica, com SCA recente (IAMCSST em 12/2021) com alteração dinâmica do ECG e dor durante a HD. Realizou CATE com lesões difusas da DA, tendo ponto de suboclusão no 1/3 médio e CD ocluída.
Decisão do Heart Team: Diante da anatomia desfavorável para intervenção cirúrgica, optado por seguir com ATC da DA.

Homem de 55 anos, hipertenso, com má adesão ao tratamento medicamentoso. IAMSST recente em 20/03/2022. Realizou CATE com padrão triarterial com DA ocluída e doença difusa e segmentar (anatomia desfavorável para tratamento percutâneo e tratamento cirúrgico com possibilidade de enxerto apenas na DA).
Decisão do Heart Team: Optado por seguir com tratamento clínico otimizado, devido a anatomia desfavorável. Caso refratariedade de sintomas, reavaliar cirurgia de RM.

Mulher de 62 anos, sem comorbidades prévias. Paciente com quadro de Angina, realizou CATE no hospital Santa Izabel e filme encaminhado para avaliação quanto angioplastia.
Decisão do Heart Team: Artérias muito calcificadas sendo desfavorável para o tratamento percutâneo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, em que posso ajudar?