Heart Team do Ana Nery promove reunião semanal para discutir casos complexos; confira

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 18 de janeiro, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (18), foram discutidos os casos de cinco homens (com idades entre 52, 62, 68, 79 e 81 anos) e uma mulher de 62.

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira as decisões dos casos apresentados na reunião anterior:

  • Homem de 59 anos, com diagnóstico de hipertensão, doença renal crônica (DRC), fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) 29% Simpson com acinesia anterior, apical e septal (18/01/2021) e passado de IAM CSST anterior em 2010, submetido a ATC na ocasião; evoluindo com angina atípica aos esforços extra-habituais há cerca de 2 anos (DAC estável, CCS II). Cateterismo cardíaco (CATE) com descendente anterior (DA) ocluída, stent prévio no 1/3M com lesão de 100% e circunflexa (CX) com lesão de 70% no 1/3P//Subramo de 1 marginal (Mg) de 90% no 1/3 P. Paciente em melhora de angina após otimização de terapia.
    Decisão da equipe: Optado por seguir com tratamento clínico otimizado.
  • Homem de 33 anos, hipertenso, fibrilação atrial (FA) com passado de TVM por bioprótese em 2012, evoluiu com disfunção biventricular com FEVE 20%; na ocasião foi identificado coarctação de aorta grave associado a valva aórtica bicúspide (esta sem disfunção valvar); optado por tratamento endovascular, sendo submetido a correção endovascular de coarctação de aorta (02/10/2020), vem evoluindo com recuperação parcial da função do ventrículo esquerdo (VE) (evolução da FEVE 18%>23%>40%), porém também evoluindo com disfunção da bioprótese do tipo estenose e insuficiência aórtica moderada com insuficiência de tricúspide grave com falha de coaptação, mantendo hipertensão pulmonar com disfunção grave de ventrículo direito (VD) e clínica sugestiva de insuficiência cardíaca (IC) direita.
    Decisão da equipe: Paciente com risco cirúrgico elevado, porém diante da recuperação progressiva da função do VE, optado por seguir com cirurgia de ReTVM + TVAo; avaliar plastia de tricúspide no intra-operatório (paciente com plastia prévia).
  • Homem de 58 anos, hipertenso em tratamento irregular. Em 26/12/2021 apresentou quadro de dor retroesternal em repouso, em aperto 10/10, sem associação com outros sintomas, com melhora dos sintomas após medicações na UPA, eletrocardiograma (ECG) que evidenciou IAMCSST em parede anterior com IAMCSST anterior, não reperfundido. Realizou CATE em 03 de janeiro de 2022 com lesão de tronco de coronária esquerda (TCE) 50-70% em terço distal, lesão moderada de óstio de DA, lesão do 1/3 médio da Cx e lesão grave do DP.
    Decisão da equipe: Paciente jovem com lesão de TCE – optado por cirurgia de revascularização miocárdica (RM).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, em que posso ajudar?