Ana Nery passa usar a aparelho de ECOTE nas salas de cirurgias cardiovasculares; médicos da unidade destacam importância

O Hospital Ana Nery terá, a partir de segunda-feira, 25 de outubro, a realização da ecocardiografia transesofágica intraoperatória (ECOTE) como rotina para as cirurgias cardiovasculares realizadas na unidade.

Os equipamentos já estão no HAN e dentro de alguns dias começarão a funcionar nas salas cirúrgicas.

De acordo Dr. Jackson Brandão, cirurgião do Ana Nery e professor da UFBA, a implementação da rotina é um enorme avanço na assistência do paciente.

“Este aparelho traz um grande avanço à cirurgia cardiovascular, pois no intraoperatório podemos identificar e confirmar os defeitos cardíacos e também, ao corrigir esses defeitos, verificar se essa correção foi completa”

Dr. Jackson destaca que o uso do ECO TE coloca o Ana Nery próximo das melhores práticas de cirurgias cardíacas do mundo.

“Já identificamos que os países desenvolvidos já trazem essa tecnologia com rotina, e ter isso aqui no Ana Nery nos aproxima desses grandes serviços. A gente poderá dar uma assistência melhor ao paciente e saber que esse paciente, ao final da cirurgia, teve seu procedimento completo, correto, e saber qual a função cardíaca do paciente que vai para a UTI. E essa informação também auxiliará na condução do pós-operatório, pelos médicos da UTI”, explicou.

Também cirurgião do Ana Nery, Dr. Ricardo Amoretti reforça a importância do equipamento nas salas cirúrgicas.

“O ecocardiograma transesofágico é uma ferramenta muito útil e muito importante na cirurgia cardíaca, principalmente nas cirurgias valvares e nas plastias, porque nos garante aferição do resultado da plastia e garante o sucesso desses procedimentos. Nas próprias trocas valvares, também garante que a próteses está funcionante, que o coração respondeu bem, e isso nos dá segurança de que o procedimento teve o melhor resultado possível, afirma o cirurgião, que explica ainda que o equipamento também é de extrema relevância para outros tipos de procedimentos”, afirma mo médico.

“Além dessas questões, mesmo nas outras cirurgias, é uma ferramenta importante na avaliação de saída de CEC, na deaeração das cavidades e no bom funcionamento ventricular, para nos dar segurança na saída de CEC e o melhor resultado possível para a cirurgia”, conclui Amoretti. [Assista vídeo abaixo]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, em que posso ajudar?